Compêndio de Neurologia Infantil – 2a edição - Capítulo 09 - Eletroencefalografia, Poligrafia e Potenciais Evocados

FONSECA - 09 - PAG 182 Welser Machado de Oliveira. Andréa Julião de Oliveira. ELETROENCEFALOGRAFIA. A eletroencefalografia pode ser definida como o estudo da atividade bioelétrica cerebral, registrada por meio de eletrodos posicionados sobre o escalpo ou, no caso da eletroencefalografia invasiva ou eletrocorticografia, diretamente sobre o córtex cerebral. Ainda no século XIX, Caton5 já realizava as primeiras observações de atividade elétrica cerebral espontânea. Entretanto, o registro inequívoco da atividade bioelétrica no cérebro humano data de 1929, com os experimentos de Hans Berger,3 o pai da eletroencefalografia. A utilidade desse método na prática clínica logo tornou-se evidente, pois se tratava da primeira técnica capaz de informar sobre o funcionamento dinâmico do cérebro vivo. Os primeiros investigadores a utilizar o eletroencefalograma (EEG) – entre eles Gibbs, Davis e Lennox7 – perceberam rapidamente sua grande potencialidade, sobretudo para o estudo das epilepsias. . Atualmente, apesar de todo o avanço tecnológico nas técnicas de avaliação estrutural do encéfalo (sobretudo a neuroimagem, com a tomografia computadorizada [TC] e a ressonância nuclear magnética [RM]), o EEG persiste como....

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados



© 2000 - 2017 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa