Infecção Relacionada à Assistência (Infecção Hospitalar) e Outras Complicações Não Infecciosas - Capítulo 3 - Epidemiologia Aplicada ao Controle das Infecções 27

COUTO-GRILLO - 03 - PAG 67 Renato Camargos Couto. Tania Moreira Grillo Pedrosa. 1 – INTRODUÇÃO. As bases científicas para a indicação do uso da vigilância epidemiológica foram construídas no projeto SENIC (Study on the Efficacy of Nosocomial Infection Control), que mostrou que as medidas para reduzir a incidência de infecção consistiam em: atividades de vigilância e de controle organizadas, número adequado de pessoas na atividade e um sistema de retorno de taxas aos cirurgiões. O impacto produzido por essas ações medido no SENIC refletiu-se na redução de 5,7 infecções por 100 admissões, ou a um terço em relação ao passado. . Em 1999, o Instituto de Medicina (IOM) dos EUA publicou seu relatório “Errar é Humano” (EUA, 2000). Nesse relatório foi estimado que cerca de 44 mil a 98 mil mortes anuais nos EUA eram decorrentes de falhas da assistência médico-hospitalar. Aproximadamente um milhão de pacientes admitidos nos hospitais norte-americanos ao ano eram vítimas de eventos adversos assistenciais, sendo mais da metade destes oriundos de erros que poderiam ter sido prevenidos. As mortes resultantes destes episódios representavam, então, a quarta maior causa de mortalidade....

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados



© 2000 - 2017 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa