Anestesiologia Materno-Infantil - Capítulo 26 - Alterações fisiológicas da gestante e efeitos da anestesia sobre a atividade uterina

IMIP-Anestesia - cap-26 Seção II. Anestesia em Obstetrícia. Ruy Leite de Melo Lins Filho. Rossana Sant’Anna de Melo Lins. INTRODUÇÃO. A adaptação à gestação afeta todos os sistemas orgânicos, usualmente logo nas primeiras semanas após a concepção, prolongando-se até o período pós-parto. No sistema cardiovascular a maior demanda determina aumento no volume plasmático e no débito cardíaco, alterando a resposta hemodinâmica às intervenções anestésicas. A partir do segundo trimestre, a compressão aortocava na posição supina diminui o fluxo sanguíneo uterino e o débito cardíaco materno. No sistema respiratório, a diminuição na capacidade residual funcional e o consumo aumentado de oxigênio tornam a parturiente mais suscetível à hipoxemia durante apneia. No trato gastrointestinal, o retardo no esvaziamento gástrico, a maior secreção ácida e a pressão intra-abdominal aumentada elevam o risco da parturiente para regurgitação e aspiração. Alterações no sistema nervoso da gestante aumentam sua sensibilidade a todos os anestésicos.. A....

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados



© 2000 - 2017 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa