EMERGÊNCIAS MÉDICAS - Capítulo 30 - Coma

Documento sem título Márcio Nattan. Rafael Papatella. José Carlos Serufo. INTRODUÇÃO. A consciência pode ser sumariamente definida como capacidade do indivíduo de perceber a si mesmo e ao ambiente, e de com este estabelecer interações. Para que isso ocorra é fundamental o bom funcionamento de três estruturas fundamentais que tem íntima correlação: sistemas vitais (circulatório, respiratório, hepático, etc.), sistema reticular ativador ascendente (SRAA) e córtex cerebral. Qualquer dano em algum destes níveis, seja por causa estrutural, tóxica, metabólica ou infecciosa, pode levar a alterações da consciência. As alterações podem se manifestar pela perda da capacidade de percepção e interação adequadas (qualidade da consciência) ou pela incapacidade em se manter alerta e responder a estímulos externos (nível de consciência).. Torpor e coma são estados clínicos que definem a deficiência ou ausência de resposta a estímulos externos, além de dificuldade ou impossibilidade de despertar. Os termos letargia, torpor e embotamento se referem a estados entre o alerta e coma que, geralmente, não devem ser usados em situações clínicas sem qualquer outra descrição. Ao contrário, é sempre preferível a descrição objetiva das alterações encontradas no paciente com alterações da consciência.. Uma alteração....

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados



© 2000 - 2017 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa