Clínica Cirúrgica - Capítulo 16 - Infecção Necrosante de Partes Moles

Euclides Dias Martins Filho Misia Martins Fernando Spencer Netto . Epidemiologia e Fatores de Risco. O termo infecção necrosante de partes moles refere-se à infecção da pele, do tecido celular subcutâneo e do músculo que se associa a algum grau de destruição celular. Em geral, trata-se de infecções de rápida evolução e com elevada mortalidade.1 Fatores de risco diretamente relacionados com essa patologia não foram identificados, porém há condições associadas, como diabetes, obesidade, uso de drogas injetáveis e imunossupressão. Diversos termos têm sido utilizados para descrever as infecções necrosantes, entretanto elas apresentam a mesma fisiopatologia. Boa parte dessa variação deve-se ao fato de se nomear com base no achado clínico e não no achado cirúrgico-patológico. Tendo como base a localização anatômica dessa infecção, podemos separar três grandes grupos: a infecção superficial, a fasciite necrosante e a mionecrose, representando as duas últimas as infecções necrosantes propriamente ditas.2 A infecção superficial compromete a pele, tanto a epiderme como a derme, com ausência de necrose. Inclui foliculite, furúnculo, erisipela e impetigo. Na fasciite necrosante ocorre acometimento do tecido entre a pele e o músculo, incluindo tecido celular subcutâneo, fáscia superficial e fáscia profunda.

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados



© 2000 - 2017 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa