Clínica Cirúrgica - Capítulo 20 - Doença Cística da Árvore Biliar

Cesar Henrique Alves Lyra Fábio Mesquita Moura Miguel Arcanjo dos Santos Júnior Introdução Muito sobre etiologia, patogenia, diagnóstico e tratamento da doença cística da árvore biliar (DCAB) é desconhecido e permanece em debate por cirurgiões e radiologistas há aproximadamente 300 anos após a primeira descrição dessa entidade por Vater, em 1723.1 A DCAB caracteriza-se por dilatações císticas, únicas ou múltiplas, que podem aparecer em qualquer segmento da árvore biliar, de maneira intra ou extra-hepática. A denominação inicial de cisto de colédoco foi abandonada devido à inclusão de cistos da árvore biliar intra-hepática na classificação desta patologia.2 Epidemiologia A incidência da DCAB varia de acordo com a região; é rara na população ocidental – 1:100.000 a 1:150.000 – e ocorre com mais frequência na população asiática, podendo acometer 1:1.000 nascidos vivos, com um terço dos casos localizados no Japão. A causa da predominância no Oriente continua sem elucidação, assim como a prevalência no sexo feminino, de 3:1 a 4:1. No passado, a maioria dos casos era reportada em crianças e adolescentes e séries recentes têm demonstrado igual incidência em crianças e adultos.3,4 Embora clinicamente similar, a apresentação e o tratamento podem ser diferentes em crianças e adultos; esses últimos....

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados



© 2000 - 2017 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa