Manual de Urgências em Pronto Socorro - Parte 01 - Urgências Cirúrgicas - Capítulo 25 - Traumatismos Arteriais Periféricos

Marco Tulio Baccarini Pires. I. Introdução. Desde os primórdios da medicina, as lesões arteriais periféricas traumáticas sempre se constituíram em um problema grave, tanto devido à sua morbidade (alto risco de sequelas e perdas de membros) quanto à sua mortalidade, quando não tratadas a tempo e adequadamente.. Assim é que, na Idade Média, a ausência de técnicas e instrumental adequados fazia com que a tentativa de tratamento de um ferimento traumático, com sangramento arterial, se constituísse em estancar o sangramento a qualquer preço, no sentido de preservar a vida do paciente. Para isso, instrumentos primitivos, como o ferro em brasa e óleo fervente, eram utilizados sobre as lesões sangrantes. Entretanto, além de pararem o sangramento, estas técnicas terminavam por provocar extensas áreas de necrose, favorecendo as infecções e a gangrena. No século XVI, Ambroise Paré, cirurgião do exército francês na Guerra dos Cem Anos, passou a utilizar um método menos traumático para controlar as hemorragias, com melhor resultado — a ligadura dos vasos. Os....

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados



© 2000 - 2017 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa