Manual de Urgências em Pronto Socorro - Parte 01 - Urgências Cirúrgicas - Capítulo 15 - Traumatismos Esplênicos

Marcos Campos Wanderley Reis. Guilherme Durães Rabelo. Bruno de Lima Rodrigues. I. Introdução. O traumatismo do baço, víscera mais frequentemente acometida nas lesões contusas abdominais, teve seu tratamento fundamentalmente alterado nas últimas décadas. Durante grande parte do século XX, a esplenectomia total era o tratamento padrão até para lesões simples do órgão, uma vez que se acreditava que o baço era um órgão dispensável, de cicatrização difícil e com grande risco de ruptura tardia e exsanguinação. A definição da sepse fulminante pós-esplenectomia na década de 1950, por King e Shumacker, levou a uma reavaliação da conduta no traumatismo esplênico, com o incentivo a cirurgias conservadoras do baço (esplenorrafias e esplenectomias parciais) a partir dos anos 80. O tratamento não operatório das lesões esplênicas, inicialmente relatado em 1971, adquiriu segurança com o advento da tomografia computadorizada. Atualmente, esta alternativa terapêutica é aplicada com sucesso nos centros de trauma, como primeira opção, na maioria dos pacientes vítimas de trauma esplênico contuso, sobretudo nas crianças.. Portanto,....

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados



© 2000 - 2017 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa