Manual de Urgências em Pronto Socorro - Parte 01 - Urgências Cirúrgicas - Capítulo 02 - Feridas

Marco Tulio Baccarini Pires. I. Introdução e conceito. O tratamento das lesões traumáticas tem evoluído desde o ano 3000 a.C.; já naquela época, pequenas hemorragias eram controladas por cauterização. O uso de torniquetes é descrito desde 400 a.C. Celsus, no início da era cristã, descreveu a primeira ligadura e divisão de um vaso sanguíneo. Já a sutura dos tecidos é documentada desde os terceiro e quarto séculos antes de Cristo. Essas técnicas “delicadas” de manuseio dos ferimentos foram abandonadas com o início da era cristã.. Na Idade Média, com o advento da pólvora, os ferimentos se tornaram muito mais graves, com maior sangramento e destruição tissular (antes, apenas ferimentos por arma branca eram encontrados nos casos de agressões e guerras). Nesta ocasião, métodos drásticos passaram a ser utilizados para estancar as hemorragias, como a utilização de óleo fervente, ferros em brasa, incenso e goma arábica. Logicamente, esses métodos aumentaram em muito as infecções nas feridas pela necrose tissular que provocavam. A presença de secreção purulenta em um ferimento era indicativa de “bom prognóstico”..

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados



© 2000 - 2017 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa