Terapia Intensiva em Pediatria - Seção 04 - Temas Neurológicos- Capítulo 23 - Morte Encefálica

Roberto José Alves Casado . “A vida é caracterizada pelo sofrimento, parte natural da Existência.” . Dalai Lama . Introdução. A morte como momento final de existência não pode ser explicada apenas por parada ou falência de um único órgão, mas pela extinção do complexo pessoal, representado por uma personalidade. Culturalmente, manejamos com dificuldade questões que envolvem sofrimento, perdas ou luto, embora sejam estas “conseqüências naturais de nossa existência”. . O conceito de morte vem sofrendo mudanças no decorrer do tempo. Os avanços da medicina, traduzidos pelo aprimoramento das técnicas de tratamento intensivo, como uso de respiradores artificiais, levaram à definição de novos conceitos sobre morte clínica. A tecnologia moderna prolonga a vida por técnicas artificiais, tornando imperativa uma nova definição de morte. Este conceito transforma-se e modifica-se conforme perspectiva, seja esta filosófica ou científico-biológica. De fato, um corpo que, apesar de um coração ativo, apresentasse abolição persistente e definitiva de atividades cerebrais estaria morto. A clássica definição “parada....

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados



© 2000 - 2019 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa