Cirurgia de Urgência - Vol. II - 2ª Ed. - Capítulo 19-22. Fístula Arteriovenosa Axiloaxilar

Alcino Lázaro da Silva. . As anastomoses arteriovenosas como fistulas para tratamento da insuficiência renal crônica, ou para uso de quimioterápicos contra neoplasia ou infecção, com o tempo que se prolonga, pode apresentar problemas. São: complicações graves, oclusão, dificuldade às punções repetidas. O uso de acessos vasculares vai-se alternando, até que não haja locais bons. Nestes casos Manning iniciou o uso da fistula AV entre os vasos axilares.. . Anestesia geral, decúbito dorsal, braços em abdução. Incisões bilaterais (6 cm), 2 cm abaixo das clavículas. Secção da fáscia do músculo peitoral maior, abertura da aponeurose clavicoracóide e músculo peitoral menor e em seguida a fáscia clavipeitoral. Dissecção, de um lado, da vela axilar (anterior à artéria) e de outro, da artéria axilar. Descolamento subcutâneo pré-esternal entre as incisões.. . Os vasos expostos são clampeados e abertos longitudinalmente. Anastomose de uma prótese de 8 mm, um lado com a artéria e noutro com a veia. Os cuidados para prevenir trombos são regidos pelos princípios da cirurgia arterial. Após a....

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados



© 2000 - 2019 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa