Cirurgia de Urgência - Vol. II - 2ª Ed. - Capítulo 17.04. Risco Cirúrgico

Luiz Gonzaga Pimenta. Alcino Lázaro da Silva. . Generalidades. . A avaliação do risco cirúrgico tem um caráter prognóstico, norteado pela morbidez, resistência orgânica e grau de injúria, afastando-se a possibilidade de óbito.. . O ato cirúrgico demanda risco maior ou menor de acidente, complicação, recorrência, seqüela, iatrogenia, mutilação e óbito.. . O aprendizado da medicina se faz de maneira superficial e ampla pelo médico ou limitada e profunda pelo especialista. Ambos são úteis na avaliação do risco cirúrgico. 10,13. . A avaliação demanda conhecimentos seguros da afecção cirúrgica principal e secundária, da possível afecção clínica associada, do grau de injúria operatória e da resposta orgânica ao trauma. Há necessidade de reversão de um catabolismo transitório em um anabolismo definitivo. O cirurgião, usando todos os parâmetros acima, é capaz de fazer uma avaliação segura do risco cirúrgico.12,13 Ele pode diagnosticar afecções, clínica ou cirúrgica, que contra-indiquem uma terapêutica cirúrgica. A atividade e a experiência acumuladas respondem pela melhor conduta.5,12 O....

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados



© 2000 - 2019 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa