Cirurgia de Urgência - Vol. II - 2ª Ed. - Capítulo 16.06. O Clínico na Medicina de Urgência

Fidélis Chamone Jorge. . Introdução. . Ninguém há de duvidar de que a conceituação moderna dos problemas médicos agudos, de solução clínica e/ou cirúrgica, é necessariamente físiopatológica.. . A importância do estudo criterioso das urgências médicas é grande, pois essas causam freqüentes óbitos, deixam seqüelas incapacitantes e criam dificuldades na prevenção. Tais urgências têm significativo potencial de recuperação, na medida em que, avaliadas em base fisiopatológica, o médico consegue ver no paciente um complexo triunitário espírito-corpo-ambiente.. . Urgências médicas decorrem, comumente, de falhas de prevenção e atingem, mais freqüentemente, uma população de faixas etárias baixa e média. A freqüência com que as urgências ocorrem aumenta paulatinamente, na medida dos progressos da civilização. A prevenção dessas condições é difícil por vários motivos: falta de cooperação do indivíduo, escassez de recursos, conhecimento incompleto dos métodos preventivos e, finalmente, inexistência de meios adequados de evitar vasta gama de acidentes. 7. . Tenta-se hoje uma visão....

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados



© 2000 - 2019 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa