Cirurgia de Urgência - Vol. II - 2ª Ed. - Capítulo 15-06. Síndrome Pós-Traumática Secundária (SPTS)

Alcino Lázaro do Silva. . A elevada incidência de traumas e suas graves conseqüências tem estimulado a criação repetida ou renovada de recursos técnicos requintados, juntos a CTI e UTI.. . Isto trouxe, ao lado da recuperação de grande número de doentes perdidos, patologias novas de difícil controle, alta mortalidade e morbidez penada.. . As SPTS são os sinais e sintomas decorrentes de manifestações mórbidas associadas e secundárias ao trauma. No contexto sindrômico encontramos: pulmão de choque, úlceras de estresse e insuficiências renal e hepática agudas pós-trauma. São conseqüentes a lesões cardíacas, cerebrais, glandulares, que lideram as causas de óbitos no CTI.. . A base fisiopatológica parece ser comum: (a) espaço de tempo na evolução: nunca são identificadas em conjunto com o trauma. Dias após, e mesmo após o controle deste, aparecem complicando o equilíbrio e a segurança do paciente; (b) independe da etiologia; (c) envolvimento poliorgânico, tanto maior quanto mais prolongada a SPTS; (d) identidade de lesões poliorgânicas nos traumas centrais ou periféricos, ....

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados



© 2000 - 2019 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa