A Síndrome da Falência de Múltiplos Órgãos - 1a. Ed. - Capítulo 14 - A Abordagem Terapêutica Profilática Inespecífica para a SFMO

I. Introdução. . Na evolução da SFMO, a deterioração subaguda e crônica de órgãos vitais, como os pulmões e os rins, pode assumir tal gravidade a ponto de tornar impossível a recuperação. Em verdade, o comprometimento secundário de alguns órgãos na SFMO pode resultar em morte a curto prazo, como a insuficiência respiratória da SARA. As hemorragias graves, como as provocadas pelas úlceras de estresse, seriam o próximo fator de mortalidade a curto prazo. Porém, a sua importância relativa tem caído, devido à eficácia da terapêutica profilática com antagonistas H2. Em seguida, ficaria colocada a insuficiência renal pós-traumática, com mortalidade situada a curto/médio prazo, especialmente considerando-se a possibilidade de controle total da situação através da hemodiálise. A insuficiência hepática pós-traumática, além de relativamente infreqüente, mostra evolução lenta. Os outros órgãos em que o exame patológico demonstra envolvimento secundário de razoáveis proporções em quadros de SFMO não têm, via de regra, contribuído significativamente com o quadro....

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados



© 2000 - 2017 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa