Doença Vascular - Abordagem Multidisciplinar ao Diagnóstico e Tratamento - Capítulo 15 - Stents Vasculares

Donald Harrell, Douglas B. Hood. I. INTRODUÇÃO. O termo "stent" origina-se do sobrenome de Charles Stent, um dentista inglês. Em 1856, Stent desenvolveu um composto para obter impressões dentárias. Mais tarde, o termo stent foi usado pelos cirurgiões para descrever os dispositivos criados para manter os enxertos cutâneos no local. Depois, este termo passou a ser usado na literatura cirúrgica para descrever um dispositivo que poderia sustentar qualquer enxerto cirúrgico no local, ou estabilizar os tecidos durante a cicatrização. A partir daí, o termo foi adotado pela radiologia intervencionista para designar uma estrutura tubular, que poderia induzir ou manter a patência da luz vascular. Alguns dicionários referem-se ao termo obsoleto stent ou stint, que significa "estender".1. Charles Dotter desenvolveu uma "tala intravascular" no início de 1964.2 Este dispositivo foi apresentado em 1969 em seu artigo intitulado "Enxertos tubulares endarteriais espirais implantados por via transluminar: patência de longo prazo em artéria poplítea canina".3. Contudo, apenas na década de 80, começaram a surgir trabalhos....

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados


Assinantes


Esqueceu a senha?