Princípios e Práticas em Psicofarmacoterapia - 1ª. Ed. - Capítulo 10 - Tratamento com Estabilizadores do Humor/Antimaníacos

Histórico O lítio tem sido utilizado como um agente médico, desde meados do século XIX, para uma variedade de transtornos, como gota, diabetes e reumatismo. Com os relatos pioneiros de Cade e Schou, quase um século mais tarde, ele surgiu como padrão para o tratamento dos distúrbios bipolares.1,2 John Cade, um médico australiano, casualmente descobriu essas propriedades antimaníacas do agente, quando injetou urato de lítio em cobaias. Tomando erroneamente toxicidade por sedação nos animais, ele usou o lítio com sucesso num ensaio aberto com pacientes maníacos. Mogens Schou, seguindo-se aos relatos de Cade, foi o primeiro europeu a usar lítio numa série de ensaios empregando crescentes graus de rigor metodológico.2-4 O termo "normotímico" foi proposto por Schou para descrever a ação do lítio contra ambas as fases de um transtorno bipolar, bem como a sua capacidade para prevenir recorrências do transtorno depressivo unipolar.3 Em outro achado casual, Cade notou que o primeiro paciente tratado com lítio recaiu quando a medicação foi retirada.5....

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados


Assinantes


Esqueceu a senha?