Cardioendocrinologia - Capítulo 12 - Cardiopatia e Gestação

Carlos Japhet da Matta Albuquerque . Introdução. Apesar dos crescentes avanços científicos e tecnológicos na Medicina, as cardiopatias na gravidez representam uma das principais causas de mortalidade materna, mesmo nos países desenvolvidos. No Brasil, sua incidência é em torno de 4,2%, seis a oito vezes maior quando comparada a estatísticas internacionais e ocupa o 1º lugar como causa indireta de morte materna não obstétrica e a 4ª causa de mortalidade materna. Nas últimas décadas, em decorrência da maior sobrevida, houve evidente aumento do número de mulheres na fase reprodtutiva. Em nosso país, cerca de 55% da etiologia são de origem reumática (80% dela representados pela estenose mitral), 16% pelos cardiopatias congênitas, 15% pelas cardiomiopatias, entre as quais a cardiopatia chagásica; em 12% há hipertensão arterial; e nos 2% restantes incluem-se prolapso da valva mitral, hipertensão arterial pulmonar, arritmia, embolia e cardiopatia isquêmica1. Ávila e colaboradores, em análise de 1.000 gestantes portadoras de afecções cardiovasculares acompanhadas no Incor-SP, encontraram incidências semelhantes em relação às cardiopatias....

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados


Assinantes


Esqueceu a senha?